Logotipo Grupo ISASTUR
Manual de Segurança.

Edição revista 2010

Trabalhos em Altura

4. ESCADAS PORTÁTEIS

A utilização de uma escada como posto de trabalho em altura deve ser limitada às circunstâncias em que a utilização de outros equipamentos de trabalho mais seguros não se justifique em razão do nível reduzido de risco e das características dos locais que o empregador não possa alterar.

As escadas manuais são utilizadas na nossa Empresa em inúmeros trabalhos. A maioria dos acidentes que podem ocorrer, podem ser evitáveis com uma conservação cuidadosa e uso adequado.

A escada manual é um equipamento de trabalho portátil constituído por 2 peças paralelas ou ligeiramente convergentes ligadas em intervalos por travessas e que serve para uma pessoa subir ou descer de um nível para outro.

Degrauss: Partes de uma escada onde se colocam os pés para subir ou descer.

Montantes: Peças paralelas ou convergentes ligadas solidariamente e perpendiculares aos degraus.

Existem vários tipos: Escadas simples de uma secção, escadas de tesoura, escadas extensíveis, escadas transformáveis e escadas mistas com articulação.

Os materiais das mesmas podem ser de: madeira, aço, alumínio e de materiais sintéticos (fibra de vidro).

4.1. Riscos e Factores de Risco

Queda de altura

  • Por deslizamento lateral do topo da escada (apoio precário, posicionamento incorrecto da escada, vento, movimento lateral do utilizador, etc.).
  • Por deslizamento do pé da escada (ausência de calços de apoio anti-derrapantes, cedência ou inclinação do solo, pouca inclinação da escada, apoio superior sobre parede, etc.).
  • Devido a desequilíbrio subindo cargas ou por se inclinar lateralmente para efectuar um determinado trabalho.
  • Rotura de um degrau ou montante (velho, mal reparado, inclinação incorrecta da escada, etc.).
  • Desequilíbrio ao escorregar no degrau (degraus sujos, calçado inadequado, etc.).
  • Movimento brusco do utilizador (objecto difícil de subir, choque eléctrico, tentativa de alcançar um objecto a cair, etc.).
  • Basculamento para atrás de uma escada demasiado curta, instalada demasiado vertical.
  • Subida ou descida de uma escada de costas para a mesma.
  • Posição incorrecta do corpo, mãos ou pés. Oscilação da escada.
  • Rotura do dispositivo de união das duas secções de uma escada de tesoura o transformável.

Entalamento

  • Desencaixe dos dispositivos de ensamblagem da parte superior de uma escada de tesoura ou transformável.
  • Desdobramento de uma escada extensível.
  • Rotura da corda de manobra de uma escada extensível, corda mal amarrada, quer no dobramento quer no desdobramento.

Queda de objectos sobre outras pessoas

  • Por utilização de ferramentas, materiais, etc.
  • Durante trabalhos diversos, sobre equipas de ajuda ou sobre pessoas que circunstancialmente passem por baixo ou ao lado da escada.

Contactos eléctricos directos ou indirectos

  • Por utilizar escadas metálicas para trabalhos eléctricos em instalações eléctricas ou nas suas imediações.

Outros

  • Operário com vertigem ou similar.

Copyright © 2010 Grupo ISASTUR

Design e Programação Grupo Bittia